RSS

Você é mais rico do que você pensa…

29 Nov

Talvez o leitor não se aperceba, mas… você é mais rico do que pensa. Ora veja:

Imaginemos alguém rico e com todas as mordomias da época… por exemplo… Karl Marx.
Pensem no dia-a-dia dele. Por mais dinheiro que Engels lhe desse, tinha de acordar num colchão mais fraco do que o de um sem-abrigo que viva hoje no Porto. As suas casas de banho não tinham água corrente. O seu pequeno almoço só incluía fruta da época. Não podia ouvir senão música tocada ao vivo, o que reduzia as suas escolhas em géneros musicais a muito menos do que o caro leitor pode hoje ouvir sem custos em segundos e com o benefício do vídeo. Só podia corresponder-se por carta. Dificilmente poderia deslocar-se a grandes distâncias, e nunca em menos de semanas. Andava muitas vezes por ruas que cheiravam mal por falta de saneamento. Não podia usufruir de televisão, cinema, internet, telefone, telemóvel, câmeras, … Bolas, nem uma aspirina ele podia tomar! Quase que se torna compreensível porque andava sempre de mal com o mundo!

Como refere o vídeo, eu não aceitava 1 milhão de Euros para aceitar a penalização de nunca mais usar a internet. Digo mais: todo o dinheiro que o Marx alguma vez recebeu do Engels não me pagava eu aceitar essa condição.

Assim, mesmo em crise, a sociedade ocidental dá-nos condições que nem aos super-ricos estavam acessíveis nos séculos anteriores! E em quantidades inimagináveis.

A eficiência, a cooperação espontânea, a complexidade das cadeias de valor, o valor acrescentado crescente de toda esta estrutura, a auto-coordenação implícita mesmo num simples lápis, a mim deixam-me como se a ouvir Bach, a ler Camões ou a ver o pôr-do-sol na Ilha da Páscoa.

Para alguém criado próximo da Natureza, a economia faz-me lembrar a floresta. O seu fervilhar, a luta pela sobrevivência empresarial, as suas reacções complexas e individuais mas coordenadas aos factores externos, os resultados de anos de evoluções baseados em pequenos nadas de seres que baseados no seu próprio interesse tomam as melhores decisões para a adaptação do todo a sempre novas circunstâncias, é lindo e, de um certo modo, poético.

E no fim, o resultado é que os organismos não só sobrevivem, mas se adaptam e mesmo prosperam, ocupando os espaços disponíveis, fazendo o espaço borbulhar de vida, crescendo e adaptando-se e proporcionando ao observador atento momentos de interior satisfação.

Vejam só como hoje a situação é melhor do que no passado!

 Adenda: exemplo de como seria se a sociedade ocidental não tivesse a capacidade de corrigir os seus erros por tudo depender apenas de uma cabeça, que não aceita 2as opiniões.
Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 29 29UTC Novembro 29UTC 2011 em História, Videos

 

Etiquetas: ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: