RSS

Características de uma Boa Moeda

02 Jan

Uma moeda serve para essencialmente, 3 funções – o famoso RUM:

  • Reserva de Valor
  • Unidade de Conta
  • Meio de Pagamento

Assim, convém que um bem que tenha, na maior medida possível, 7 características:

  1. Durável (se for perecível, as poupanças nesse bem de nada serviriam) ∞ 1ª Função
  2. Existente em Quantidade suficiente mas limitada (ou teria o valor da água e do ar) ∞ 1ª Função
  3. Divisível (se for indivisível, não é possível realizar pagamentos de baixo valor) ∞ 2ª Função
  4. Homogénea (se for heterogéneo, não será possível valorizar com precisão) ∞ 2ª Função
  5. Portável (se for de difícil transferência, não poderá ser usado como pagamento) ∞ 3ª Função
  6. Aceitação Generalizada (essencial para ser usada como meio de pagamento) ∞ 3ª Função
  7. Facilmente Mensurável (senão, não poderia ser de aceitação generalizada) ∞ 3ª Função

Vários bens podem servir esta função, e serviram-na ao longo da história:

  • Conchas em tribos marítimas (problema: heterogeneidade),
  • Sal por alguns romanos (problema: portabilidade),
  • Cigarros em prisões (problema: consumo dos mesmos),

Podem ver a história aqui:

Mas nada como a combinação Ouro-Prata (com o segundo metal a resolver o problema da incapacidade do primeiro de cobrir compras em pequeno valor).
O Ouro é durável, abundante (todo o ouro no mundo enche 3 piscinas olímpicas e meia, o que se pensarem nisso é muito ouro), é facilmente divisível, homogéneo, concentra muito valor em pouco volume (sendo assim altamente portável) e tem valor intrínseco (a maioria das pessoas quer ter ouro).

Dirão: não é melhor o dinheiro electrónico? Poderia ser. Mas o problema é a 2ª característica: o dinheiro electrónico existe em quantidade ilimitada, bastando para tal uma ordem do Banco Central.

Dirão: mas os Bancos Centrais não são confiáveis? Podiam ser. Mas não são. Em caso de interesse, reparem o que eles fazem à Base Monetária:

Para já não vos assustar com o que a Reserva Federal fez ao seu balanço como resposta à crise (o gráfico anterior tinha em consideração a expansão consequente promovida pelos bancos e parece uma subida mais ténue):

Ou seja, a quantidade pode disparar a qualquer momento, por um motivo decidido em salas fechadas, para qualquer valor. E claro que, quando a quantidade dispara para próximo de infinito, o preço esse, desce para próximo de 0.

Como diria Voltaire:

“Le papier-monnaie revient finalement à sa valeur intrinsèque – Zéro.”
“Paper money eventually returns to its intrinsic value – zero”
“O Papel-moeda eventualmente retorna ao seu valor intrínseco – Zero.” 

Leituras recomendadas: Reserva de Valor, por BZ, O que é a Inflação?, Padrão-Ouro, Realismo do Padrão-Ouro hoje, Experiência do Dólar Zimbabweano

Anúncios
 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

2 responses to “Características de uma Boa Moeda

  1. anabrav

    9 09UTC Novembro 09UTC 2012 at 16:29

    Os numeros e os gráficos falam por si, não é? Mesmo assim há quem continue a proclamar à saciedade que o BCE devia fazer imprimir mais moeda para sairmos da crise…..

     
  2. Ricardo Campelo de Magalhães

    9 09UTC Novembro 09UTC 2012 at 16:43

    Mais do que demonstrar a evidência eu não posso fazer.
    Eu posso abrir a porta, mas cabe a cada um dar um passo e entrar…

     

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: